Nova espécie de ave é encontrada


Uma nova espécie de pássaro descoberta por pesquisadores na Serra do Cipó, conjunto natural localizado a 90 km de Belo Horizonte (MG), pode desaparecer da natureza antes mesmo que a ciência consiga dados sobre sua reprodução e população.

O pedreiro-do-Espinhaço (Cinclodes espinhacensis) foi visto pela primeira vez em 2006 por um grupo de professores e estudantes de doutorado em ecologia da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Mas sua descrição foi publicada pela primeira vez no início do mês na edição do jornal “Ibis”, da União Britânica de Ornitólogos.

De acordo com a equipe de biólogos, inicialmente o pedreiro-do-Espinhaço foi confundido com outra espécie de ave que vive no Sul do país. A partir de análises de DNA, foi constatada a diferença genética, o que indicou que a ave encontrada era uma espécie nova.

“Após os exames genéticos, procuramos confrontar dados com informações de biólogos de várias partes do país, como a vocalização (canto das aves), a coloração, tipo de plumagem e medidas do corpo”, afirma a pesquisadora Lilian Mariana Costa, bióloga e doutoranda em ecologia pela UFMG.
Segundo ela, o pássaro recebeu o nome de “pedreiro” devido a uma característica incomum: diferente de outras aves, que constroem ninhos em galhos de árvores ou dentro de troncos, a espécie “mineira” encontra cavidades em rochas e ali deposita seus ovos.

Distribuição
A Serra do Cipó está localizada dentro da cadeia montanhosa denominada Serra do Espinhaço, que se estende pelos estados de Minas Gerais e Bahia. A região fica a 1.500 metros acima do nível do mar, proporcionando um clima fresco e ideal para que este pássaro viva.

Porém, de acordo com Lilian, mesmo com a falta de dados sobre o número de exemplares existentes no país, é possível afirmar que esta espécie corre risco de desaparecer da natureza devido à pouca quantidade de aves existentes e às ameaças que rondam sua população.

Os biólogos estimam que existam “pedreiros” em uma área de 500 km² -- o equivalente a um terço do tamanho do município de São Paulo – índice que é considerado baixo e preocupante.

Além disso, próximo às áreas onde eles são encontrados há queimadas constantemente, que ocorrem ilegalmente na maioria das vezes, com o intuito de abrir espaço para a criação de gado ou para a produção agrícola. Mesmo sendo protegida por lei, a Serra do Cipó tem áreas que não são abrangidas e sofrem com este tipo de degradação.
“Pelo pouco número de localidades em que essas aves foram encontradas, é possível determinar que o pedreiro-do-Espinhaço está ameaçado de extinção. Essa medição foi feita a partir de regras da União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN, na sigla em inglês)”, disse Lilian. "Apesar disto, foi surpreendente encontrar uma espécie tão próxima a Belo Horizonte", complementa.

A IUCN é responsável por elaborar a lista vermelha de animais em risco, a partir de informações sobre as espécies.

Fonte: Globo.com / G1 natureza
Foto: Guilherme Freitas

Postagens mais visitadas

Imagem

Pomba Asa Branca