Competição leva 400 aves de canto ao campus da UFMS


Para calcular, uma máquina especial marca a quantidade de cantos e duração do canto dos concorrentes.

Mais de 400 pássaros participaram da primeira etapa do campeonato nacional de canto da Cobrap (Confederação Brasileira de Criadores de Pássaros Nativos).

Participam da disputa exemplares das espécies bicudo e curió trazidos por criadores de vários estados, entre eles Goiás, São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Distrito Federal e, claro, Mato Grosso do Sul.
Thales Lopes Rezende Júnior, presidente da Fecripas/MS (Federação dos Criadores de Pássaros de Mato Grosso do Sul) explica que o pássaro que canta mais, ganha. Para calcular isso, uma máquina especial, que é operada por um fiscal, marca a quantidade de cantos e da duração do canto dos concorrentes.

Nesta etapa, 30 pássaros são classificados e continuam na disputa, sendo que o 30º lugar ganha apenas 1 ponto. O campeão será conhecido no final do ano, quando a competição se encerra. A próxima etapa acontece na cidade de Vinhedo, interior de São Paulo, no final do mês.

Para o pássaro vencer todas as etapas e chegar na final entre os três primeiros colocados, ele precisa ter um desempenho de canto de, aproximadamente, nove minutos. "É como se os pássaros fossem atletas. Por isso, eles recebem um tratamento especial por parte dos criadores."

Requisitos - Para o vice-presidente da Cobrap, Aloísio Pacini Tostes, que também é criador, cuidado especial deve ser dedicado à ave de competição. "Para um pássaro produzir um canto de alto nível e rendimento a ponto de participar de competições, ele precisa estar bem cuidado tanto no aspecto físico, quanto emocional", explica. "Embora estejam em gaiolas pequenas durante o torneio, em casa, onde vivem, são criados em gaiolas grandes para ter mais mobilidade e realizar voos", completa.

Fonte: Campo Grande News
Foto: Marcelo Calazans

Postagens mais visitadas

Imagem

Pomba Asa Branca